Um novo olhar sobre a experiência da sala de aula

14/01/2017 13:16:29 - Atualizada em 14/01/2017 13:18:35 - Por Ana Carolina Dias

O diretor de Graduação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), localizada em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, professor Dr. Gustavo Severo de Borba, foi um dos palestrantes da Jornada Pedagógica 2017, da Rede Jesuíta de Educação (RJE) em Teresina. O professor tratou sobre “Um Olhar sobre a Experiência na Sala de Aula” e abordou o processo de ensino-aprendizagem como desafio na sociedade atual.

Gustavo Borba é graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Maria (1995), fez mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005) e especialização em Design Estratégico pela Unisinos (2008) e pós-doutorado na Escola de Educação do Boston College (2012). Atualmente, é professor do Programa de Pós-Graduação em Design e diretor da unidade de Graduação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Tem experiência na área de processos de design e inovação, design estratégico e novas práticas de ensino e aprendizagem.

Segundo Borba, as discussões propostas pela palestra estão alinhadas ao que propõe o Projeto Educativo Comum (PEC) da RJE, trabalhando com o conceito de nova sala de aula, o que acontece no espaço e como projetar. Ele defende que a melhoria do modelo de aprendizagem depende de uma transformação da postura do professor: de detentor do conhecimento para projetista da sala de aula. “O professor sai do papel de dono da informação e se coloca na condição de projetar cada espaço, de acordo com a realidade daquele grupo de alunos”.

De acordo com Borba, é preciso também uma mudança na postura do aluno, para que ele seja protagonista na construção do conhecimento, tendo a experiência da escola como facilitadora desse processo. Conforme ele, na medida em que o aluno se torna protagonista, o papel do professor de facilitar uma construção coletiva no ambiente escolar é ainda mais importante. “O maior desafio é conseguir construir uma educação que não seja igual para todos, mas entenda a realidade dos alunos e considere suas particularidades, para que estes possam transformar sua própria realidade”, defende.

Deixe um comentário

0 Comentário