​Dia Mundial da Paz faz chamado para a não violência

21/12/2016 08:49:27 - Atualizada em 21/12/2016 08:49:49 - Por Ana Carolina Dias

O 50º Dia Mundial da Paz, comemorado no primeiro dia do ano, celebra “A não-violência: estilo de uma política para a Paz”. O tema escolhido pelo papa Francisco evidencia a necessidade de se discutir sobre uma prática que muitas vezes começa em casa. “Se a origem donde brota a violência é o coração humano, então é fundamental começar por percorrer a senda (o caminho) da não-violência dentro da família”, afirma Francisco. A mensagem reforça a ideia de que os conflitos familiares devem ser superados pelo diálogo, respeito e perdão, não pela força física.

O papa propõe a ética da fraternidade entre os povos, que considere os indivíduos e grupos sociais descriminados e vítimas de injustiça. O pontífice reforça que a causa envolve todas as instâncias da sociedade e que a unidade verdadeira deve ser maior que a divergência. “É um desafio também para os líderes políticos e religiosos, para os responsáveis das instituições internacionais e os dirigentes das empresas e dos meios de comunicação social de todo o mundo”, ressalta.

Em sua mensagem Francisco menciona diversas maneiras e níveis de violência: guerras, terrorismo, criminalidade, tráfico humano e devastação ambiental, reforçando que as consequências são represálias e conflitos letais. “Responder à violência com a violência leva a migrações forçadas e a atrozes sofrimentos, porque grandes quantidades de recursos são destinadas a fins militares e subtraídas às exigências da grande maioria dos habitantes da Terra”. O pontífice afirma que o compromisso com a promoção da justiça não é patrimônio da Igreja Católica, mas pertence a muitas tradições religiosas. “Nunca nos cansemos de repetir: jamais o nome de Deus pode justificar a violência. Só a paz é santa. Só a paz é santa, não a guerra”.

De acordo com o diretor geral do Colégio Diocesano, ir. Raimundo Barros, SJ, o serviço da fé e a promoção da justiça é parte integrante da missão da Companhia de Jesus, que tem o compromisso de ajudar na superação das desigualdades sociais, ampliar as possibilidades de um mundo melhor e garantir o serviço para os mais necessitados. “ Ser uma instituição aberta para as múltiplas realidades de alunos e famílias é uma forma de promover a paz e estabelecer vínculos de fraternidade que ajudam no desenvolvimento humano”.

O Dia Mundial da Paz, também chamado “Dia da Confraternização Universal”, foi escolhido pela Organização das Nações Unidas – ONU, a pedido do Papa Paulo VI, em 1968, para lembrar a importância de promover a paz através da fraternidade e do diálogo entre os povos. A sugestão do Papa foi de que a data ganhasse adesão ao redor do mundo, não se restringindo a uma comemoração exclusivamente católica.

Leia na íntegra a mensagem do papa Francisco

Fonte: Ecclesia / Radio Vaticana 

Deixe um comentário

0 Comentário