Alunos concorrem a prêmio em concurso ecológico de Portugal

03/05/2016 09:40:06 - Atualizada em 03/05/2016 09:40:28 - Por Ana Carolina Dias

Milanna (esquerda), Raian (centro), Maria (direita) concorrem a prêmio no Festival Bgreen

Os alunos do Colégio Diocesano Raian Mateus Castelo Branco, Milanna Martins Rebelatto e Maria Clara de Carvalho Vieira, da 2ª série do Ensino Médio, foram classificados para concorrer com outros jovens de diversos países no Festival de Cinema Ecológico Bgreen, realizado pela Escola Profissional do Instituto Nun’Alvres, da Companhia de Jesus, em Portugal. Os estudantes com supervisão de Alessandro Morele, colaborador do Colégio Diocesano, produziram um spot vídeo sobre a temática ecológica. Os ganhadores receberão passagens para conhecer o Arquipélago dos Açores.

Raian diz que o spot vídeo nomeado,The Green Side of the Power, tem o objetivo de mostrar a capacidade da natureza de gerar energia limpa. “As pessoas utilizam energia e nem percebem. Mostramos o potencial da natureza em gerar energia na nossa própria cidade”, explica. Rain afirma que Teresina tem recursos naturais que poderiam ser melhor utilizados como o potencial hidroelétrico dos rios Poti e Parnaíba, mostrados no vídeo. “O mais importante é as pessoas perceberem o quanto dependem do meio ambiente para realizar suas tarefas diárias e que a preservação é a garantia de que poderemos usufruir desse bem”.

A Escola Profissional do Instituto Nun’Alvres é um projeto do Instituto Nun’Alvres (INA), dos jesuítas, localizado em Santo Tirso, no Distrito do Porto, que em parceria com o governo local oferece ensinos Fundamental e Médio gratuito às crianças e jovens da região. O projeto da instituição objetiva preparar jovens para a vida profissional por meio de cursos técnicos que facilitem o ingresso no Ensino Superior, fomentando a consciência da dimensão social e solidária. O projeto Bgreen promove ações de conscientização ecológica com os alunos e prestação de serviços a comunidade, como workshops, ações de sensibilização ambiental e reflorestamento em comunidades próximas.

Deixe um comentário

0 Comentário