Tempo de Esperança

24/11/2015 12:32:21 - Por Camila Oliveira

 safe_image

No relato da criação, após o trabalho de cada dia, Deus contemplava e via que tudo era bom. Essa atitude de Deus nos remete ao exercício diário da avaliação, mas essa se dá a partir do processo criativo.

Aproxima-se o final do ano e o exercício de olhar para o que foi feito é necessário. E o que vemos? Foi um ano intenso na jornada de trabalho; muitos sonhos; muitas alegrias, muitos desafios, algumas tristezas, mas acima de tudo, muita esperança!

Esperança que vem de todos os lados, recheada do sorriso dos nossos alunos, da dedicação dos nossos educadores e do estreitamento da parceria com as famílias. Foi um ano bom e com prenúncio de um  2014 com muito para fazer.

E falando em esperança, nesses dias, tenho recebido muitos cartões de natal dirigidos a todos nós que fazemos o Colégio Diocesano, mas um deles, enviado por Campelo & Campelo, veio com o que passei a chamar de "centelha de luz". Luz radiante, capaz de clarear a forma de ver e se relacionar com o mundo, com as pessoas e com Deus.

O cartão traz uma carta escrita por uma criança que é atendida pelo Lar de Maria - Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí. Mais do que um relato de esperança, é um grito  que emociona e leva a uma reflexão sobre o sentido do que estamos fazendo:

                         "Eu sou João Henrique, tenho 9 anos. Gostaria que todos soubessem que mesmo estando internado em tratamento não    perdi a esperança de um mundo maravilhoso e gostoso de viver. Quero aproveitar para agradecer a Deus e a você por todas as graças alcançadas e desejar um feliz natal. Um grande abraço!"

Quando li o cartão, me dei conta da pérola  que tinha nas mãos e agradeci a Deus por ter permitido que chegasse até mim esse relato de esperança. O cartão  vou guardar comigo, mas vi que precisava irradiar essa centelha de luz!

Que Jesus Menino nos anime e nos faça pessoas melhores, capazes de amar sem medida!

  Fraternalmente, Ir. Raimundo Barros, SJ  

Deixe um comentário

0 Comentário