Setembro Amarelo: uma campanha pela valorização da vida

01/09/2020 01:00:00 - Por Samira Ramos

Há seis anos, o mês de setembro deixou de ser apenas mais um dos doze meses do ano e ganhou um novo sentindo. Isso porque a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), passou a organizar nacionalmente a campanha Setembro Amarelo, que tem como objetivo atuar diretamente na prevenção ao suicídio e na valorização da vida.

A campanha que ilumina as cidades, pintando a maioria dos pontos turísticos brasileiros na cor amarela, desenvolve inúmeras ações como caminhadas e palestras, tendo sempre em mente que a melhor forma de promover a conscientização sobre a temática é por meio da a escuta – livre de qualquer julgamento – e do diálogo. Por isso, pontua-se a importância de descontruir o tabu em torno do assunto, abordando-o de forma sensível e acessível.

Nos Colégios Diocesano e Diocesano Infantil são desenvolvidas ações em alusão à valorização da vida e como devemos ser gratos por ela. Em decorrência da pandemia, que nos impossibilita promover ações presencialmente em um ambiente de acolhimento, o Serviço de Psicologia promoverá uma roda de conversa e discussão sobre o tema ainda neste mês. Além disso, amanhã, 1º, será enviada aos professores cartilhas informativas, voltadas ao bem-estar da mente destes colaboradores.

Nos colégios jesuítas, a busca pelo equilíbrio é fundamental, uma vez que a proposta é formar pessoas por completo e não apenas no aspecto acadêmico. “Ainda que o colégio não possa assumir um papel clínico é, sobremaneira, um espaço de promoção, proteção e rede de apoio para crianças, jovens, família e colaboradores”, explica a psicóloga educacional do 2º e 3º anos do Ensino Fundamental, Denise Martins.

No Diocesano Infantil, durante todo o mês também serão desenvolvidas atividades sobre os 3Gs (Gratidão, Gentileza e Generosidade) durante os encontros do Projeto Vidahs. De acordo com a psicóloga escolar, Cássia Dias, durante esse período busca-se desenvolver atividades com os pais das crianças a fim de acolhê-los e discutir metodologias educativas mais assertivas com as crianças. “Trabalhamos (Setembro Amarelo) no sentido do cuidado consigo mesmo, da sua saúde mental e com as crianças, em uma perspectiva de dimensão mais estética na contemplação da natureza e do uso dos 3Gs”, ela pontua.

Para relembrar as demais ações promovidas durante o Setembro Amarelo no Colégio Diocesano e Diocesano Infantil, fique de olho nos TBTs nas nossas redes sociais.

Deixe um comentário

0 Comentário

Fale conosco