Tecnologia, saúde mental, inclusão e solidariedade foram temas do último dia da DIOFEIRAC 2019

26/10/2019 17:00:00 - Atualizada em 26/10/2019 13:43:08 - Por Samira Ramos

           O terceiro e último dia da Feira de Conhecimento, Sensibilização, Mobilização, Protagonismo e Empreendedorismo Social do Diocesano, a DIOFEIRAC 2019, teve as apresentações dos estudantes da 1ª a 3ª séries do Ensino Médio. Os alunos expuseram seus projetos de intervenção elaborados a partir do mote “Projetos inovadores para a construção de um mundo melhor”.

          Funcionando de forma integrada ao Projeto Sempre, a DIOFEIRAC deste ano marcou o primeiro ano de sua nova roupagem. Para o coordenador pedagógico das 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, professor João Patrício de Carvalho, este novo modelo mostrou bons resultados. “Desde o princípio podemos perceber que há uma maior harmonia entre os alunos e as equipes. Percebemos que estão mais centrados nos seus trabalhos, na organização e na apresentação”, contou o professor.

         Trazendo a proposta do Sempre de estimular os estudantes na tomada de atitudes em busca da resolução de situações-problema da sociedade contemporânea, foram apresentados trabalhos sobre temas como assistência educacional, saúde mental, acessibilidade, inclusão social, tecnologia, cultura, história, reciclagem, diversidade e a situação dos refugiados no mundo. Todos os projetos de intervenção expostos pelos alunos foram frutos de pesquisas e visitas a instituições ou empresas.

Estudantes da 1ª a 3ª série do Ensino Médio falam sobre seus projetos de intervenção

         Uma das equipes da 1ª série C trabalhou o tema “Tecnologia: um upgrade na Educação”, a partir da ideia de que a tecnologia é uma aliada para a educação e que essa, por sua vez, ajuda na construção de uma sociedade mais solidária e justa. “Visitamos uma escola municipal e lá questionamos se a tecnologia os ajudariam a aprender. Cem por cento dos alunos da pesquisa responderam que sim. Para o trabalho, idealizamos que tanto o governo como as instituições de ensino devem ter a tecnologia como uma aliada”, pontuou José Victor Campelo.

         Alunos da 2ª série A desenvolveram trabalho sobre os transtornos psicológicos. Para abordarem a temática, resolveram abordar a história da “Alice no País das Maravilhas” dentro do contexto “Quem é Alice?”. “Escolhemos essa história pelas diversas teorias que há sobre os transtornos mentais. Procuramos deixar o tema em um formato mais lúdico e fácil de trabalhar, focando bastante na prevenção dessas doenças”, afirmou a aluna Ana Carolina Lopes.

         Mesmo com a adesão da 3ª série do Ensino Médio na DIOFEIRAC não sendo obrigatória, muitos estudantes optaram por desenvolver trabalhos. “Mais de 50 alunos do segmento aderiram à feira. Eles buscaram desenvolver ações voltadas para a saúde e solidariedade, sempre na perspectiva do empreendedorismo social, buscando divulgar instituições e projetos que buscam melhorar a vida das pessoas”, ressaltou o coordenador pedagógico, professor Aílton Cerqueira.

        A instituição Grupos de Mães Gaivotas que Voam Longe foi a escolhida para o desenvolvimento do projeto “I Stand with Girls”, que tem como foco a defesa da educação para as meninas adolescentes. “Demos continuidade a uma campanha que já existe na Rede Jesuíta de Educação (RJE) com o mesmo nome. Pesquisamos sobre o assunto e encontramos essa instituição que faz um trabalho de empoderamento feminino e que atende mais de 200 famílias na zona rural de Teresina. Como nosso projeto intervenção, desenvolvemos uma campanha publicitária para divulgar esse lindo projeto que eles desenvolvem no local ”, afirmou a aluna Maria Carolina Rodrigues da Matta.

Deixe um comentário

0 Comentário