Diocesano tem medalhistas na Olimpíada Brasileira de Robótica e avança para a fase nacional

27/09/2019 11:34:00 - Atualizada em 27/09/2019 12:03:51 - Por Camila Oliveira

A etapa regional da modalidade prática da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) resultou em ouro e bronze para estudantes do Colégio Diocesano! Equipes da instituição concorreram no Nível 1 (1º ao 8º ano do Ensino Fundamental) e foram agraciados com medalhas pela classificação no 1º e no 3º lugar geral e conquistaram prêmios extras nas categorias Melhor Escola Privada e Dedicação. Além disso, o grupo que alcançou o ouro na classificação geral segue para a fase nacional da competição.

Com medalha de ouro pelo primeiro lugar na classificação geral, ficou a equipe Machy TR4, composta pelos estudantes Gonçalo Ponte Leite e Lucas Mossmann Carneiro, ambos do 7º ano (EF), e Gustavo Augusto Leite de Aguiar Araújo, do 8º ano (EF). Já a equipe MecaTech, conquistou o bronze na classificação geral e é composta pelos estudantes Jamyr Weidong Ruan e João Gabriel Silva Rabelo, ambos do 8º ano (EF). A equipe Akatu, composta por Moisés Felipe da Silveira Barbosa e Werner de Carvalho Costa, ambos do 8º ano (EF), conquistou o prêmio extra na categoria Escola Privada. E a equipe Robôtech, composta por Camila Feitosa Cláudio, do 5º ano (EF), e Guilherme dos Santos Cruz, do 8º ano (EF), alcançou o prêmio extra na categoria Dedicação.

“A nossa participação nesta edição foi ótima”, avalia o professor de Robótica do Colégio Diocesano, Marcos Frazão. A equipe Machy TR4 irá representar o Piauí no Nível 1 da etapa nacional da OBR, que ocorrerá de 22 a 26 de outubro na Universidade Federal do Rio Grande, no município de Rio Grande (RS). “O nosso desafio agora é a etapa nacional e estamos nos preparando para ganhar medalhas também”, ressalta o educador.

A modalidade prática da OBR simula um ambiente de desastre, onde o resgate das vítimas precisa ser realizado por robôs. Os grupos são avaliados de acordo com o desempenho do robô montado por eles, considerando que os obstáculos devem ser contornados, os redutores de velocidade e gaps (falhas no caminho do robô) devem ser superados, as intersecções devem ser solucionadas e as vítimas devem ser resgatadas e colocadas na área de resgate.

Participando pela primeira vez na modalidade prática da OBR, Camila Feitosa ficou feliz com o resultado. “Da teórica eu já tinha participado e consegui medalha de menção honrosa”, conta a estudante. Ela afirma que se identifica bastante com a robótica e a participação na olimpíada a ajudou a aprofundar o que sabia sobre montagem e programação de robôs. “Levo mais conhecimento para minha vida”, destaca.

O Diocesano ofereceu auxílio aos estudantes por meio de encontros semanais com o professor de robótica, específicos para preparação. “Desde abril, estamos fazendo treinamento para executar a prova prática e isso foi o que nos trouxe esse resultado”, enfatiza Marcos Frazão.

A OBR é organizada por professores, cientistas e doutores na área de robótica e tecnologia de universidades públicas e particulares do Brasil, que atuam voluntariamente. O intuito da competição é estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

Veja fotos da premiação

Deixe um comentário

0 Comentário