Colégio Diocesano – 113 anos de compromisso com a formação humana

25/03/2019 00:00:00 - Atualizada em 23/03/2019 11:50:54 - Por Ana Carolina Dias

O Colégio Diocesano está completando 113 anos de contribuição para a Educação Básica de qualidade em Teresina. Fundado em 1906, o Colégio nasceu da preocupação da sociedade teresinense e da igreja católica com a formação de suas lideranças diante das mudanças do cenário social da época. Formação essa que a Companhia de Jesus assumiu em 1963 e deu continuidade.

Ao longo desses anos, a escola evoluiu física e pedagogicamente, com a adoção de métodos modernos e novas tecnologias para formar cidadãos prontos para enfrentar os desafios do mundo. Sem perder o foco na excelência do conteúdo, o Diocesano também se preocupa com o desenvolvimento sócio emocional dos seus alunos.

A missão de educar jovens para a vida, por meio de educação voltada para a fé e a promoção da justiça, é um compromisso que guia o cotidiano do Colégio até os dias atuais, formando homens e mulheres conscientes, competentes, compassivos, comprometidos e criativos na construção e transformação da sociedade.

Segundo o diretor geral, padre Vicente Zorzo, SJ, o Colégio tem como um de seus diferenciais a cultura educacional estabelecida, que não se deixa levar por modismos e nem pelos apelos do momento. “Olhamos para o passado, aprendemos com os erros e acertos, colocamos muito do presente no futuro. Temos a perspectiva do que queremos, sabendo que podemos avançar e procuramos inserir no presente, resgatando a grandeza do passado, trazendo a riqueza do futuro, mas vivendo com firmeza o aqui e agora”, ressalta o diretor.

Para os próximos anos, a meta é que os estudantes que passaram pelo Colégio e que aqui ainda estudam, continuem comprometidos com o bem comum, com o ambiente, com o planeta e que possuam preocupação de buscar novas soluções para problemas urbanos e sociais. “Que tenhamos intelectuais orgânicos que sejam capazes de responder aos novos problemas. A sociedade muda e vamos aprendendo a responder as novas demandas apresentadas”, finaliza.

 

Conheça mais sobre a história do Diocesano!

Década de 1900 a 1950

  • O Colégio e Seminário Diocesano foi idealizado pelo primeiro Bispo do Piauí, Dom Joaquim Antônio de Almeida, em 1906, e funcionou inicialmente em um prédio alugado em frente à Praça Saraiva.
  • Um ano depois, em 1907, o atual prédio foi erguido, ocupando todo o quarteirão entre as ruas Olavo Bilac e São Pedro. Em 1914, o colégio fechou as portas pela falta de recursos.
  • Ao assumir o seu bispado em 1924, Dom Severino Vieira de Melo – 3º Bispo do Piauí – determinou como uma de suas metas a reabertura do Diocesano.
  • Em 1º de fevereiro de 1925, já com o nome Colégio São Francisco de Sales, o colégio foi reaberto funcionando em regime de internato, semi-internato e externato. Entre os demais anos que marcaram as décadas iniciais, temos o ano de 1931, quando a primeira turma matriculada da escola completou o Ensino Médio.
  • As décadas de 1940 e 1950 trouxeram várias novidades para o colégio. Em 1945 e 1946, foram respectivamente implementados os Cursos Científico e Clássico e a Escola Técnica de Comércio.
  • No início dos anos 1940, um grupo de alunos fundou a Revista Gente Nova, que tinha como objetivo criar um espaço de comunicação e articulação entre as turmas. Já em 1945, foi fundado o Jornal Gente Nova.
  • Foi em 1954 a 1959, quando administrado pelo último diretor diocesano, padre Desdedith Craveiro, que decidiram pôr fim ao regime de internato e seminternato.

                                                                     


Década de 1960

  • Em 1960, padres jesuítas chegaram a Teresina para assumir o Colégio São Francisco de Sales. A transferência do colégio das mãos da Diocese para a Companhia de Jesus foi feita por Dom Avelar Brandão, então acerbispo da capital.
  • Devido à importância do colégio na contribuição para a educação do estado do Piauí, Dom Avelar comunicou oficialmente ao clero e à sociedade sobre a chegada dos jesuítas, solicitando acolhida aos novos habitantes da sociedade.
  • A entrega oficial do Colégio Diocesano para a Companhia de Jesus ocorreu na noite de 13 de março de 1960. Foi celebrada uma missa, seguida de uma sessão solene em que padre Carlo Bresciani, SJ, o primeiro diretor jesuíta do colégio, recebeu alunos, professores, colaboradores, autoridades civis e eclesiásticas para apresentar a Proposta Pedagógica da Companhia de Jesus em promover uma educação voltada para a fé e a promoção da justiça.
  • Desde o início, as atividades esportivas tiveram grande destaque no Colégio Diocesano. Natação, futsal e voleibol eram alguns dos esportes praticados entre os alunos.
  • O ano de 1962 ficou marcado pela fundação do Cine-Clube teresinense, uma idealização do padre Carlo Bresciani, SJ. O movimento cineclubista tomou tamanha proporção, que foi aberto a todos os colégios da capital.
  • Em 1968, um novo marco na história: o Colégio Diocesano deixava de ser exclusivamente um colégio para estudantes do sexo masculino. O ingresso das alunas começou nos cursinhos preparatórios para o vestibular.
  • Em 1973, o colégio matriculou institucionalmente suas primeiras alunas nas quatro primeiras séries do 1º e 2º grau. Já em 1974, as matrículas de mulheres em todas as séries foram expandidas.

 


Década de 1970 a 1990

  • Em 1973, o colégio matriculou institucionalmente suas primeiras alunas nas quatro primeiras séries do 1º grau (atualmente Ensino Fundamental I). Já em 1974, as matrículas das estudantes foram expandidas em todas as séries.
  • Ao fim da década de 1980 e começo dos anos 1990, o colégio passou por uma série de reformas que visavam a ampliações estruturais e criação de novos espaços. Entre elas, construções de novas salas, reformas na cantina e atualização do Laboratório de Informática.
  • O esporte sempre teve uma grande importância para a comunidade escolar. E, à medida que crescia o número de alunos, o então diretor padre Darly Luiz de Almeida, SJ, começou a idealizar a criação de um espaço voltado para a prática esportiva.
  • O sonho de padre Darly Luiz de Almeida, SJ, tornou-se realidade com a aquisição de um terreno localizado no fundo colégio, na esquina das ruas Olavo Bilac com 13 de Maio. No dia 13 de fevereiro de 1995, já na administração do padre Alessio Saccardo, SJ, o Centro Poliesportivo foi inaugurado.
  • O famoso túnel do Diocesano, que liga a administração ao Centro Poliesportivo, foi criado em meados da mesma década para garantir a segurança dos alunos que transitavam entre os dois prédios.

 


Década de 2000 a 2019

  • A década de 2000 foi marcada pelo ano do centenário do Colégio Diocesano, que ocorreu em 25 de março de 2006.
  • No decorrer dos anos 2000, o Diocesano passou por diversas reformas de ampliação e construção. A Biblioteca Professora Teresa Filpi Sampaio foi inaugurada em 2004, oferecendo aos estudantes um acervo de livros e disponibilizando salas de estudo climatizadas. Hoje, a Biblioteca conta com mais de 26 mil exemplares para empréstimo e consulta.
  • Uma vez que já oferecia turmas do 2º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio, em 2003, foi inaugurado o Colégio Diocesano Infantil, que passou a atender turmas do Maternal I ao 1º ano do Ensino Fundamental.
  • A rede responsável pela Educação Básica das obras da Companhia de Jesus foi criada em 2014. A Rede Jesuíta de Educação (RJE), da qual o Diocesano faz parte, integra 18 escolas, colégios e creches, que reúnem mais de 31 mil alunos e quase 2 mil educadores.
  • Em 2016, quando completou 110 anos, o colégio foi homenageado na Câmera Municipal de Teresina e na Assembleia Legislativa do Piauí. As comemorações internas também foram marcantes: houve uma exposição do acervo do padre Florêncio Lecchi, SJ, assim como o lançamento do seu livro e a inauguração da Exposição Imaginário Afetivo da memória do colégio no túnel.
  • Nos últimos dois anos, o Colégio Diocesano passou por um processo de inovação. Foram implementados os programas de Educação Bilíngue e de Robótica Educacional, além da criação de novos espaços de aprendizagem, como o Laboratório de Linguagem, e um moderno Espaço de Tecnologia.